VINHO DE 20

by Simples Rap'ortagem | 17:19 in |


Autoria: Jorge Hilton


Fazendo musica estilo Ricardo Boechat
Roberto Cabrini, Caco Barcellos, Goulart
“Vem comigo”

Século XX já passou e eu cheguei agora
Situando quem ta por fora
Com um chip do futuro na memória
Cheguei pra balançar e quem sabe fazer história

Abençoado por não ter padrinho mas por ser persistente
Por ter asas grandes, não gostar de corrente
Como Villa Lobos, ousadia na mente
Landell de Moura, Abdias nas idéias contundentes
Consegui me libertar da mochila
Me permitir pós graduação e tequila
Ouvir de quem tem o brilho na pupila
“Vocês tem esse tempo todo! Putisgrila!”
Engenhoso como Chico, Leonardo da Vinci
Causando a lá Tarcila do Amaral e Leminski
Sou simples, mas não dispenso requinte
Ta na hora de abrir esse vinho de 20

Século XX já passou e eu cheguei agora
Situando quem ta por fora
Com um chip do futuro na memória
Cheguei pra balançar e quem sabe fazer história

Tentando suingar como Marku Ribas
Tentando educar como Brecht, Paulo Freire
Rimar como rimaria Chaplin
Desconsertar como Saramago, Almodóvar
Black como o pai do rock e o rei do baião
Póstumo, como Itamar Assumpção
Posso ser tradição, Ticoãs, Caetano
Tipo um Rolling Stones do rap baiano
Multi, Mautner, Mestre Didi
Um Cheikh, estilo Anta Diop, Rita Lee
Que nem Bambaataa, escutando até de japonês:
“Não curtia rap até conhecer vocês”

Século XX já passou e eu cheguei agora
Situando quem ta por fora
Com um chip do futuro na memória
Cheguei pra balançar e quem sabe fazer história

Duplo sentido pra quem tem o sexto desenvolvido
Como Nietzsche, Azulão, um tanto desconhecido
As vezes cego como as três irmãs da Paraíba
Sampleio Regina Casé pra ficar, de bem com a vida
Aprendiz de Elis, aprendendo a jogar
Com Terezinha e Lindalva to a embolar
Sua cuca, como Freud, Joel Zito, Michael Moore
Glauber Rochiando de norte a sul
Como Tom Zé, Ney Matogrosso, experimenta
Vinho de 20 hoje, amanhã vinho de...
Vestindo Gil e Raul como se veste um jens
Regendo o próprio destino como João Carlos Martins

Século XX já passou e eu cheguei agora
Situando quem ta por fora
Com um chip do futuro na memória
Cheguei pra balançar e quem sabe fazer história

Sonhos não envelhecem, fatos falam por si
Estranhou a Simples Rap’ortagem ainda por aqui?
Pode crer, se manter a tanto tempo no jogo
Ta no sangue de quem herda a resistência de seu povo
Pensou que era novo, não deixa de ser
Nunca ouviu? quem se renova tende a permanecer
Sentiu firmeza? é porque é verdadeiro
Um guerreiro nunca se apega ao que é passageiro


REFRÃO